Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

Sensação de vazio: entenda quando se torna perigosa

Sensação de vazio: entenda quando se torna perigosa

21/06/2021

Sensação de vazio, apatia e pessimismo constante são muito comuns, ainda mais nos dias de hoje. Por motivos diversos, muitas pessoas se sentem tomadas por pensamentos negativos que causam desânimo, tristeza e se traduzem num estado de inércia permanente.

Ainda que as coisas não estejam indo bem, há uma linha tênue entre uma visão realista da vida e disfunções emocionais sérias que impedem a visualização de uma “luz no fim do túnel”. 

Ser positivo não necessariamente significa negar a realidade, cantarolar aos quatro ventos e entrar saltitando nos ambientes pelos quais você passa. Agir positivamente é ser gentil consigo mesmo, tentar enxergar o lado bom dos acontecimentos (inclusive das adversidades) e extrair aprendizados de situações diversas. 

É desafiador, mas ceder à negatividade pode causar sérios e profundos problemas. Contudo, há um limite para a sensação de vazio que vez ou outra nos acomete. Saber identificar quando as emoções negativas são perigosas é fundamental para desfrutar de uma vida mais leve

Quando a sensação de vazio se torna um problema?

É impossível sentir-se bem todos os dias, mas quando todos eles parecem ruins pode ser um indício de que algum ponto dentro de você precisa de uma atenção especial. Muitas vezes, a sensação de vazio, mesmo quando está rodeado de pessoas, se alastra por muito tempo.

Com isso, a busca pelo entendimento do que causa esse sentimento acaba ficando perdida pelo caminho. Quando isso ocorre, a pessoa pode começar a sentir que a ânsia de viver deu lugar a um pessimismo crescente e ininterrupto. Nesses casos, é hora de olhar com mais atenção para esta dificuldade. A tristeza e a solidão muitas vezes caminham juntas. 

A sensação de vazio indiretamente dá espaço para que a pessoa se sinta triste. Faz com que deixe de se importar com o que acontece ao seu redor, causa desmotivação e desinteresse por coisas simples da vida. 

Dependendo do grau em que a pessoa se sente só, pode começar a abandonar a si mesma, se distanciar de sua própria essência e perder a capacidade de olhar para si com gentileza e compaixão. 

Acontece que, muitas vezes, essa solidão é algo que está dentro da pessoa e não necessariamente é causada no momento atual. Pode ser apenas reflexos de episódios traumáticos passados. 

O que fazer quando me sinto sozinho?

sensação de vazio

O primeiro passo é identificar a origem do problema. Pode ser que a sensação de vazio seja óbvia, como a perda de um ente querido ou a dificuldade em encontrar um emprego. Mas, como disse anteriormente, pode ser que seja algo mais profundo. 

De qualquer forma, é importante se ouvir, conversar consigo mesmo, tentar identificar os desdobramentos de quando a solitude lhe assola. Superar um período de dificuldades pode levar tempo, não é algo que acontece como um passe de mágica. 

Uma boa dica é tentar explorar seus sentimentos:

  • Como estou me sentindo? 
  • Desanimado, entediado, apático, sem vontade de viver? 
  • Tenho me comparado aos outros e me sentido inferior? 
  • Estou cuidando da minha saúde emocional? 
  • O que acontece quando noto minhas falhas? 
  • Tento analisá-las e melhorar ou me coloco para baixo e me condeno? 

As respostas podem contribuir para que se perceba a gravidade do problema e de como você tem lidado com ele. 

Concluí que não consigo sair deste buraco sem ajuda. E agora?

Se resolver questões emocionais já não é das tarefas mais fáceis, o processo se torna ainda mais desafiador quando estamos imersos em uma sensação de vazio e solidão generalizada. O primeiro passo é reunir forças para reconhecer que você precisa de ajuda – e procurá-la.

Um processo terapêutico, aliás, é um grande aliado para entender as causas dos sentimentos negativos. São inúmeros benefícios, mas todos eles têm um princípio comum: fortalecer o autoconhecimento. 

Compreender melhor a si mesma, seus valores, objetivos e potencialidades é um passo importante para que você encontre respostas que passou um bom tempo procurando. E, provavelmente, não tenha encontrado por tê-las buscado fora de si. Na verdade, parte de todas as respostas estão dentro de nós.

O autoconhecimento nos torna capazes de completar quebra-cabeças que muitas vezes parecem insolucionáveis. Quando nos conhecemos bem, tudo ao nosso redor parece fluir com leveza: nossas relações melhoram, conseguimos lidar com adversidades de maneira mais eficiente e sem danos posteriores e sentimos mais motivação para correr atrás dos nossos objetivos. 

Nos conhecer verdadeiramente presume entrar em contato com nossas falhas para enfrentar os obstáculos que a vida invariavelmente apresenta. Na maioria das vezes, as causas dessa sensação de vazio profundo vêm do período intrauterino, ou seja, da fase que você passou na barriga da sua mãe. 

Afinal de contas, como diz Willian Emerson: “a vida é apenas uma repetição do que aconteceu nos 9 meses de gestação!” .

Portanto, te convido a conhecer o workshop Somato-Sensorial, Vibrando Com o Coração. Um curso online com vivências reais que utiliza os sentidos a favor da transformação emocional. Por meio dele é possível  aprender a se alinhar emocionalmente em diversos níveis, através de experiências sensoriais, transes hipnóticos e dinâmicas conduzidas. Você pode se libertar até mesmo da sensação de vazio que hora ou outra resolve tomar conta de você! 

Clique no banner abaixo e saiba mais! 

 

O que achou do conteúdo?

Deixe o seu comentário aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados

Traumas intrauterinos já podem ser tratados

Traumas intrauterinos já podem ser tratados Especialista em Psicologia Pré e Perinatal abre vagas para experiência única e exclusiva no Brasil para tratar traumas intrauterinos. Por meio de regressões é possível acessar memórias do que vivemos na barriga de nossa mãe e transformar nossa vida hoje à partir dos padrões de comportamento desenvolvidos naquele período […]

Leia Mais >

No útero, gêmeo com poucas chances de sobrevivência segura a mão da irmã

Os gêmeos aparecem de mãos dadas no ultrassom (Foto: Reprodução/ Fox8) Créditos: Matéria originalmente reproduzida da Revista Crescer online – 18 de fev de 2016 A gravidez de Britani McIntire tem sido difícil desde o início. Ela e o marido, Ian, já eram pais de duas meninas e não planejavam aumentar a família, quando descobriram […]

Leia Mais >

Fase intrauterina: você conhece a Psicologia Pré e Perinatal?

Você já ouviu falar em Psicologia Pré e Perinatal? Essa é a abordagem que estuda o comportamento humano na fase intrauterina, acompanhando nosso desenvolvimento desde a pré-concepção, que ocorre até 3 meses antes da concepção, até a primeira infância com 2 anos de idade.  O objetivo é relacionar as vivências da fase intrauterina e pós-nascimento […]

Leia Mais >

Veja todos os posts

arrow_forward