Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

Os três trimestres: como cada etapa da gestão influencia na sua vida

Os três trimestres: como cada etapa da gestão influencia na sua vida

31/08/2020

Estar grávida pode ser uma das maiores alegrias na vida de uma mulher. Mas você sabia que esses nove meses podem impactar (e muito) na vida adulta da criança que está para nascer.

 

A Psicologia Pré e Perinatal é um trabalho de regressão intra uterina e pós nascimento, que tem o poder de esclarecer porque alguns comportamento são tão difíceis de serem superados. O período de desenvolvimento fetal pode ter gerado impactos que, hoje, influenciam a sua vida.

 

Se trata de um processo em que se compreende a origem de traumas enraizados que impedem o indivíduo de seguir seu caminho com leveza e plenitude. Não é porque não nos lembramos, que essas memórias de dentro do útero não existem.

 

Acessá-las é possível e pode proporcionar uma grande transformação emocional. Confira!

Os três trimestres da gestação

 

A gestação humana é dividida em três trimestres e cada etapa contribui de forma muito particular para a construção do ser que está por vir ao mundo. Já se sabe que o período intrauterino tem extrema relevância na forma como lidamos com as situações e como nos comportamos diante da vida.

 

O primeiro trimestre começa a partir da fecundação e se estende até a décima terceira semana. Por ser o mais delicado, é o que requer maior atenção. É nele que acontece o desenvolvimento dos órgãos e é também quando há o maior risco de abortos espontâneos.

 

Pela união de apenas duas células, são gerados mais 70 bilhões desses pequenos pedaços de vida. E, conforme vão se formando, elas recebem e carregam informações. Por isso, se algum trauma ou choque ocorrer nessa etapa, é provável que o bebê sentirá o impacto diretamente no órgão que foi afetado. 

 

Esse problema pode acompanhar o indivíduo para a vida adulta. Aqui já conseguimos perceber o quão significativo é o período passado dentro do útero.

 

O segundo trimestre compreende o intervalo entre a 14ª e a 26ª semana. Esse é o período em que o feto se conecta ao campo espiritual. Isso porque ele já apresenta todo o seu sistema completamente formado e é possível ouvir os batimentos cardíacos somente com um estetoscópio.

 

É aqui, então, que o bebê terá contato com o Divino. Como está no processo de desenvolvimento das funções auditivas, ele será capaz de ouvir e criar vínculos.

 

Por fim, o terceiro e último trimestre começa a partir da 27ª semana e tem seu fim entre a 40ª e a 41ª, culminando no nascimento da criança. É durante esse período que o feto vai começar a desenvolver o ego e se preparar para o novo mundo que está prestes a chegar.

 

Nas primeiras semanas, o bebê já estará completamente formado. Agora ele vai somente ganhar peso e crescer, podendo dobrar de tamanho. Nessa etapa, ele consegue abrir os olhos e perceber os diferentes ruídos ao seu redor.

 

Por ter a capacidade de identificar os sons logo nessa fase da vida, é comum que, ao nascer, a criança se acalme ao ouvir uma voz conhecida. É realmente incrível a capacidade de adaptação entre ambientes tão diferentes.

Como cada etapa influencia na sua vida adulta

 

Como pôde perceber, a cada trimestre de gestão o desenvolvimento do feto se dá de modos diversos e cada um contribui para a formação do bebê como pessoa. Existe aqui uma relação de completa dependência e troca com outro indivíduo: a mãe.

 

Não somente o que ela consome ou os exercícios que pratica é que vão influenciar na formação do bebê. O mesmo é verdadeiro para a âmbito emocional. 

 

Além de absorver todos as substâncias necessárias para a sobrevivência, o feto pega para si também todos os sentimentos que sua mãe carrega. Sejam eles hábitos e comportamento nocivos ou construtivos, são marcas que ficam registradas em cada ser que é fecundado.

 

Dependendo da fase de gestação que esses impactos ocorrem, eles podem ter diferentes reações na vida adulta. Às vezes, temos um problema que parece insolucionável, que você tenta eliminar de todas as formas, mas parece ser impossível de chegar a um fim.

 

A resposta que você procura pode estar bem no começo de sua vida. Nas vivências intra uterinas e nas cicatrizes que elas deixaram no seu corpo. 

 

A boa notícia é que essas memórias são possíveis de serem acessadas pela regressão, e, com isso, trabalhadas de forma que a pessoa que as carrega possa se libertar de padrões negativos.

 

Você se identificou? Ficou interessado em saber mais sobre a Psicologia Pré e Perinatal? Aqui no meu blog temos vários artigos sobre o assunto. E se quiser se aprofundar, você pode também explorar mais com o meu curso

 

Espero que este artigo tenha te ajudado! Muito obrigado pelo seu interesse e até a próxima!

O que achou do conteúdo?

Deixe o seu comentário aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados

As Origens da Consciência: Além do Cérebro

As Origens da Consciência: Além do Cérebro Explorando as Fronteiras da Consciência Além do Cérebro   Neste artigo, exploramos o intrigante conceito da mente e da consciência além do cérebro. Tradicionalmente, acreditava-se que a mente estava estritamente ligada à atividade cerebral, mas à medida que examinamos mais profundamente as experiências desde a concepção até o […]

Leia Mais >

Fase intrauterina: você conhece a Psicologia Pré e Perinatal?

Você já ouviu falar em Psicologia Pré e Perinatal? Essa é a abordagem que estuda o comportamento humano na fase intrauterina, acompanhando nosso desenvolvimento desde a pré-concepção, que ocorre até 3 meses antes da concepção, até a primeira infância com 2 anos de idade.  O objetivo é relacionar as vivências da fase intrauterina e pós-nascimento […]

Leia Mais >

Síndrome do Gêmeo Desvanecido: indícios e impactos da gestação gemelar na vida adulta

Você sabia que pesquisas apontam que  cerca de 60% das gestações se iniciam de forma múltipla? Isso mesmo! Mas por motivos diversos, apenas um feto continua a se desenvolver. Porém, como essa perda de um dos embriões acontece de forma muito precoce, muitas vezes a mãe sequer tem ciência sobre a existência do segundo feto. […]

Leia Mais >

Veja todos os posts

arrow_forward